Como acertar as transições do triathlon

A transição é considerada a quarta modalidade do triathlon. Tirar rapidamente a roupa de borracha, montar e descer da bicicleta em movimento e calçar os tênis com agilidade são habilidades fundamentais aos triatletas competitivos — mas que frequentemente passam despercebidas no dia a dia. Um transição lenta pode comprometer o resultado final da trajetória.Por isso disbonibilizamos algumas dicas para ajudar a melhorar as transições.



Natação x Ciclismo



Sempre que fizer um treino com roupa de borracha, em águas abertas ou piscina, retire-a rapidamente. Ao sair da água, corra alguns metros em ritmo acelerado, abrindo o zíper simultaneamente e baixando a roupa até a altura do quadril. Não tire os óculos e a touca até que tenha abaixado a roupa, pois tê-los nas mãos vai atrapalhá-lo enquanto faz isso. A metade inferior da roupa, na prova, será retirada já na área de transição, ao lado da bicicleta, ou na tenda de troca. Teste também o uso de condicionador, vaselina ou qualquer produto que facilite a retirada da roupa,  para descobrir o que melhor se adapta a você.



Sempre que possível, treine subir na bicicleta em movimento. Descubra o que melhor funciona para você: saltar com as duas pernas (mais rápido) ou apoiar um dos pés sobre uma sapatilha, usando o outro para impulsionar a bicicleta e, então, lançar-se sobre o selim. Uma vez na bike, não se precipite ao calçar as sapatilhas. Embale até uma velocidade razoável e coloque um dos pés dentro da sapatilha. Depois acelere novamente e calce o outro pé. Por fim, retome sua velocidade de prova
e, só então, feche as sapatilhas.



Ciclismo x Corrida



No desmonte, é importante descalçar as sapatilhas no último momento e o mais rapidamente possível. Ao final de cada treino de ciclismo, pratique da seguinte forma: com a bicicleta em alta velocidade, abra uma das sapatilhas e descalce o pé, apoiando-o sobre a sapatilha; embale rapidamente e repita o procedimento com o outro; então, apoiando-se no guidão, fique de pé e passe uma das pernas pela frente, por cima do quadro (joelho flexionado), ou por trás, sobre o selim (joelho quase estendido), ficando com as duas pernas do mesmo lado da bicicleta — preferencialmente, a perna “livre” deve estar à frente da outra, pois ela iniciará a corrida.



Utilize tênis com cadarços elásticos ou sistemas de ajuste rápido — de preferência modelos que tenham alça ou aba que o ajudem a calçá-los. Deixe-os bem abertos e dispostos na área de transição e procure treinar para correr sem meias — em provas curtas, o tempo necessário para calçá-las pode ser a diferença entre uma vitória e ficar fora do pódio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *